segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Desabafo

Há vários anos que venho observando as guerras quânticas conscenciais e tenho-me perguntado: Será que vale a pena tanto estudo, tanta sabedoria exacerbada, tanta meditação, tanto curso? Será que é isto tudo que me vai levar à tão desejada iluminação? Será que é preciso continuar com esta guerra da separabilidade em que uns têm os Grandes Mestres da Luz e outros sonham em tê-los, achando que só alguns é que são merecedores? Homens de pouca fé, diria Yoshua. Quanta pobreza de espírito, desculpem os senhores da espiritualidade pura e sem falhas, pois a minha espiritualidade tem inserido as palavras de Yoshua: "Onde houver um ou dois a falar de Mim, eu estarei." Será que existem mestres planetários que escolhem mestres cósmicos? Ou será que os ensinamentos de Yoshua não fizeram ressonância dentro desses mestres?

Palavras de Yoshua (Jesus): "O meu Pai tem muitas moradas as quais eu não conheço". É pena que apenas algumas moradas e seus moradores sejam conhecidos por agora. Então eu pergunto: Os outros que não são conhecidos serão para os intelectuais da espiritualidade os sem-abrigo do cosmos? Eu acredito que ainda é possível mudarmos o rumo da história transformando as lanças afiadas do julgamento em actos de amor e humildade.

Ninguém é mais do que o outro, somos todos merecedores da bênção divina porque todos somos divinos. Quem nunca doou o seu tempo, o seu amor, a sua compreensão em prol do outro? Cada um à sua maneira é um lanu da força Maior. Tu que te sentes um lanu, "discípulo", agradece "sem vaidade ou ego" a oportunidade que o teu irmão te dá nesta vida de tu poderes relembrar as coisas micro e macro. Se receberes a informação dos grandes mestres ou dos pequenos, não importa, todos fazemos parte do grande Logos Solar. Vamos deixar de pensar que só algumas moradas são da luz, tudo provém da luz e tudo é amor. Depende só da tua consciência, de quereres ou não fazer parte e não te pores à parte.

Ama-te a ti em primeiro lugar para depois dares ao outro, porque o outro também és tu. Nesta dualidade todos somos UM.

Celeste Simões

O meu desejo

Que este meu desabafo seja amanhã algo sem sentido.

Amo-vos

Celeste

Sem comentários: