quarta-feira, dezembro 13, 2006

O silêncio na convergência do infinito



Na linha do infinito vi-te, sentado a meditar.
Tive receio que o meu olhar perturbasse o teu silêncio.
Fechei os olhos e quis ser igual a ti,
inexplicável foi a sensação de te sentir junto de mim,
sentir a tua energia de amor a envolver-me.
Por minha vontade perdi-me para me encontrar,
no infinito do teu silêncio.
Quero estar sempre a teu lado… no meio do silêncio.

Catalizadora
Celeste Simões


Sem comentários: